segunda-feira, 26 de setembro de 2011

"[EDIR PINA DE BARROS,FLOR DO CERRADO]".





‎"EDIR PINA DE BARROS".




E
'mpenho-me à falar de ti,


D
'estinando meus respeitos,


I
'mpressionado com o que li



R'esultando esses sentimentos.




P
'oder de sustentar as palavras,


I
'nteligentes com talento nato,


N
'otavelmente tudo que lavras,


A
'os seus escritos poéticos de fato.





D
'ireciona com esmero e satisfação,


E
'ntre as linhas dos versos que faz,





B
'ondade máxima de todo coração,


A
' todos convence e satisfaz.


R
'etira o mal que por ventura
 vier,



R'espaldando com carinho e afeto,

O
'nde quer que você estiver,


S
'empre com modos bons e correto...

"[FEIRA LIVRE]".



"[FEIRA LIVRE]".

Toda manhã de domingo tem,
no espaço da minha vila,
de todos os cantos quem vem,
sem ter que esperar na fila.

Vende-se quase de tudo fresco,
do tempero até um pastel,
dentro desse grande contexto,
dos peixes pedimos para tirar o fel.

Verduras legumes e frutas,
condimentos para cozinhar,
mantimentos  carnes e trutas,
anunciam com estimulantes gritar.

Andamos com sacolas e carrinhos,
abrindo espaço para comprar,
pedindo licença para abrir os caminhos,
e esses produtos para casa levar.

Nas mãos levamos belas flores,
para enfeitar a nossa varanda,
de lindas e maravilhosas cores,
como o domingo de feira manda...

domingo, 25 de setembro de 2011

"[MOÇA TRISTE]".



"[MOÇA TRISTE]".

Moça,por que choras?
tens a vida toda pela frente,
outro amor não demoras,
em ti estar presente.

Levante a cabeça,
saia da depressão,
que sentes como sentença,
por perca dessa paixão.

Lindíssima como és,
de corpo e coração,
da cabeça aos pés,
o que esperas então?

Penses que esse horror,
que fazes dele crescente,
só cura com outro amor,
e serás feliz novamente...

"[IDIOTA]".


"[IDIOTA]".

Certa noite eu sai,
em silêncio chorando,
à procura de ti,
um pranto de angustia,
só Deus sabe o que senti,
e uma explicação encontrando,
quando com outro te vi.
para essa minha idiotia.

As coisas que fazia,
é assim que eu te vejo
no nosso dia a dia,
sem carinho e almejo,
só um idiota não via,
num indecoroso beijo,
a sua aparente apatia.
desdenhando daquele ensejo.

Até as lindas rosas,
do meu jardim,
lindas formosas,
diziam para mim,
tão dolorosas.
coloque um fim,
nessa paixão horrorosa,
que será melhor assim...

"[ABRISTES MEU CORAÇÃO]".




"[ABRISTES MEU CORAÇÃO]".

Circundastes por muito tempo,
as cercas do meu coração,
até achares o momento,
de abrir-lhe o portão.

Sem pedir sequer licença,
entrastes de de modo sútil,
e ele,sentindo sua presença,
uma forte emoção sentiu.

Sorriu mostrando alegria,
com desejo e satisfação,
depois desse belo dia,
nunca mais fechei-lhe então.

Agora andas escancarado,
aberto sem ter mêdo,
das dores do triste passado,
que fizestes tanto segredo...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

"[TUDO VAI MUDAR]".


"[TUDO VAI MUDAR]".

Tudo vai mudar,
o dia que voltar,
porque o meu chorar,
alegremente vai parar.

Tudo vai mudar,
o dia que voltar,
porque o seu lugar,
ninguém ousou usar.

Tudo vai mudar,
o dia que voltar,
porque o teu beijar,
esta no meu paladar.

Tudo vai mudar,
o dia que voltar,
porque o teu olhar,
está no meu pensar.

Tudo vai mudar,
o dia que voltar,
porque esse amar,
vou sempre eternizar...

[CANTO,OH! CANTO TRISTE]". { Marchinha}...



[CANTO,OH! CANTO TRISTE]". { Marchinha}...

 ...
 diz-me logo com fervor,
 se ainda nela existe,
 carinho paz e amor.
 ...
 não se cale por favor,
 senão ainda persiste,
 esta enorme aguda dor.
 ...
 entrego-me à cantar,
 com este horror que insiste,
 no meu peito acomodar.
 ...
 alegres esta canção,
 à deixar que conquistes,
 novamente esta paixão...

"[NAVEGAS,NAVEGAS]". {Fado}...



"[NAVEGAS,NAVEGAS]".  {Fado}...

Navegas,navegas neste mar,
coração,triste à chorar,
em buscas,daquela lembrança,
que sempre,foi teu pensar.

Navegas,navegas neste mar,
com finalidade,de encontrar,
aquela,maravilhosa criança,
que sempre,tu fez sonhar.

Navegas ,navegas neste mar,
p'ra que este,teu voltar,
mostre à todos,a bonança,
deste teu,demorado velejar.

Navegas,navegas neste mar,
para fazer,a tua prole enxergar,
o que deixastes,foi a esperança,
que um dia,venhas se formar...

"[VINTE E TRÊS DE SETEMBRO]".







"[VINTE E TRÊS DE SETEMBRO]".


V'ejo nesta linda manhã,
 I'nterno e externamente,
  N'os seres um afã,
   T'ão docemente.
    E'sta estação do ano nos traz,


     E'lementares sonhar,


      T'razendo o que o coração faz,
       R'ealismo de amizade e amar.
        E'ssa maravilhosa iniciação,
         S'empre nos mistura com as flores,


          D'enominando toda emoção,
           E'ntre deslumbrantes cores.


            S'emente que no inverno plantou,
             E'clodiu em todos os jardins,
              T'exturando a paz de quem amou,
               E'm amor afeto e belos afins.
                M'esclei nesse dia primaveril,
                 B'oas novas para quem ama,
                  R'espaldando à quem sentiu,
                   O'nde essa estação  proclama...

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

"[MÃE MULHER FORTE]".





"[MÃE MULHER FORTE]".

Em suas veias,corre um perfume,
que exala odores de dedicação,
elevando seus sentidos ao cume,
acelerando também seu coração.

Sua boca soa palavras doces,
que tem o sabor de puro mel,
derretendo no ar como mousses,
 pairando como nuvens no céu.

Seus olhos transmitem desejos,
que dizem realmente o que quer,
abraçada com crescentes almejos,
aonde quer que o filho estiver.

Isso tudo,é doado por sua vida,
com afeto carinho e emoção,
deixando-te totalmente envolvida,
entrelaçada nos braços dessa paixão...

"[INESPERADO CUPIDO]".

"[INESPERADO CUPIDO]".

Tomou mais uma bebida,
respirou fortemente,
fixou o olhar na saída,
e sentou-se novamente.

Um pouco nervoso esperava,
algo que lhe confortasse,
mas não contava,
com esse empasse.

De repente um estampido,
silenciou o ambiente,
na porta um cupido,
com a flecha reluzente.

Atirou e acertando-o,sentiu,
por uma linda mulher que viu,
naquela porta quando se abriu,
entrando,e nunca mais saiu...




"[FALSÁRIA]".

Relação conturbada,
mentias que tinha tudo,
mas na realidade,
não tinhas, nada.

Falando de amor,
se gabavas,
mas na realidade,
só era favor.

Com desejo,
beijavas,
mas na realidade,
não era seu almejo.

Dizias que,
amavas,
mas na realidade,
nem sei quem é você...

"[CERTEZA]".



"[CERTEZA]".

Se um dia tentares desistir da vida,
faças o favor de olhar para trás,
e ter certeza que cicatrizou a ferida,
que a desilusão nos faz.

Pense nos dias felizes,
que passastes em seu amar,
e vejas que não condizes,
com que estás prestes à desprezar.

Junte todos esses fatores,
acumules no coração,
felicidades e grandes amores,
sentirás que acaba essa intenção...

"[LINDA]".


"[LINDA]".

Linda é tu mulher,
como flor desabrochando,
ou sol alegre erradiando,
aonde quer que estiver.

Linda és tu oh formosa,
como jardim florido,
com canteiros de rosas,
por meus olhos definido.

Linda és tu moça menina,
como brilho de luar,
em noite que combina,
com meu sincero pensar.

Linda és tu minha amada,
que mora no meu coração,
cada vez mais dedicada,
no empenho dessa paixão...

"[SIMPATIA]".


"[SIMPATIA]".

Salve,salve simpatia,
enfim à encontrei,
repleta de alegria,
nos mundos que passei.

Saldando com amizade,
enfim conseguindo,
refletir felicidade,
à todos que vem vindo.

Mostrando a sinceridade,
que assim será usada,
para toda humanidade,
em ser sempre mostrada.

Elevando em compreensões,
o afeto amor e carinho,
emanando paz nos corações,
tirando de si os espinhos...

"[ADEUS]".


"[ADEUS]".

Na estante,uma caneta,
em cima,de um papel,
em que,estava escrito,
com tinta preta.

Quando li,senti,
o gosto,amargo de fel,
meu coração,
deu tamanho grito,
que dispersou-se,ao léu.

Escreveu,adeus,
não me procure,
espero que,ature,
essa dor,
se for,capaz...

"[DIA MUNDIAL SEM CARRO]".

  "[DIA MUNDIAL SEM CARRO]".


{22 DE SETEMBRO}...


D'omínio que move o mundo,
I'ntegrado na sociedade,
A'um desejo infundo,


M'ostrando sua quantidade.
U'm a um cada vez mais veloz,
N'as ruas estradas e caminhos,
D'ireção essa fatal e atroz,
I'ndiferente aos espinhos.
A' todos que tem consciência,
L'ibere hoje um ato antigo,


S'aia de casa com obediência,
E' deixe na garagem esse seu amigo.
M'eça cada passo que der,


C'aminhando para a labuta,
A'proveitando para ver,
R'uas e avenidas sem essa luta.
R'odas pneus e muita fumaça,
O'nde formam poluição e desgraça...